o novo disco da Jambow Jane

A Jambow Jane é uma banda de pop rock composta pela família do brasileiro Flavio Prada – ele, a mulher e filhos + músicos agregados -, formada despretensiosamente há alguns anos, sediada na cidade onde eles moram, Riva Del Garda, Itália. No primeiro disco, eles musicaram um poema meu, “Fogo Aceso” e, depois, musicaram uma letra minha inspirada no meu livro “A Comédia Mundana”. Flávio é de Limeira, somos amigos, escrevemos para um mesmo condomínio de blogs nos primórdios da internet e agora, quando saiu o segundo disco da sua banda, o recebi como recebemos a obra de um brother: querendo muito gostar, mas com aquela desconfiança de não ser algo que atenda ao nosso gosto.

O fato é que me surpreendi pois gostei demais.

“Worlds and Bridges” é um disco de rock com muita pegada. E comento abaixo, um faixa a faixa para dar uma ideia do que pode esperar quem se interessar em ouvir no Spotify.

23270426_1682928571763543_8983626267885811494_o

“Worlds and Bridges” começa com uma cacofonia e a gente não sabe bem o que esperar. Em seguida vem um piano solene – eu pensei que a Jambow Jane tinha enveredado pela erudição, mas logo vem a bateria, o baixo e a guitarra com a voz do Flavio de maneira progressiva e, uau, é um rock clássico com pé no Metallica! Mas aos três minutos, volta a cacofonia, com frases em várias línguas e dá pra ver que a referência é o Pink Floyd. A segunda vez que a guitarra volta com força, nos leva para “In The Flesh” do PF. Esperamos por mais.

A segunda canção, “Music Makes you a Stronger Person” segue na mesma vibração, com pegada bluesy hipnótica, e lá pelos três minutos queria que não entrasse vocal. A bela linha de baixo que me lembrou Geddy Lee e seu Rush. Mas entra o jogral que canta o título da canção no minuto final, desnecessariamente. Só a música já estava ótimo.

A terceira faixa é “Medo”, em português, algo engraçadinha e com refrão pegajoso. Mais uma vez, a beleza maior está no instrumental – esse pessoal está afiado mesmo. Rápida, intensa, me lembrou a banda Joelho de Porco em seus momentos mais pesados, “Medo” prepara as expectativas para o que possa vir depois. E vem “Science Guy”, única música do disco com vocal exclusivo da Bea, mostrando talento incrível sobre base de piano, com coro também de rock progressivo, ok, Pink Floyd de novo, “The Great Gig in the Sky” está ali, e o piano que vira um sintetizador antigo. Acho que é a faixa mais curta do disco, infelizmente. (Lembrei que a banda já tinha gravado essa do PF com a Bea)

Nova cacofonia na abertura da grunge “Run Over the City”, que tem clipe no Youtube (veja abaixo). Acho que é a faixa de trabalho do disco e pode ser boa isca para os mais jovens e vai fazer os tiozões lembrar de Nirvana. Tem um lance de Pavement ali também, acho que na gritaria da parte final, o que gostei.

As próximas três faixas são exercícios de estilo. “Única” brinca com a bossa nova, uma bossa´n´roll, com violões e mais uma letra em português, engraçadinha-existencial, bem elaborada. “Wasting my Time” é uma atualização de “Oh Sweet Nuthin´” do Velvet Underground, onde o título da canção, vocalmente retorcido, serve de base para o exercício musical da banda – até que entra uma participação da Bea, mostrando que tem real potencial blues. E “Fuck Stasera” é a minha preferida, uma canção louca, com palavras em português, inglês, italiano e até francês, uma canção multilingual, multicultural, multisonora, dinâmica e engraçada, que pode bem indicar o caminho para o futuro da Jambow Jane. E é a canção com o melhor posicionamento de voz do Flavio – ele está solto, sem querer parecer afinado.

A oitava faixa é climática, com violões, encerrando o disco, como se as duas próximas canções fossem bônus. “It´s Hot In Summer” é um blues rápido, Stevie Ray Vaughn, bem solto e descontraído. E a última canção de “Worlds and Bridges” é a única em italiano, romântica, chamada “Sì e No”, que tem uma faixa pesada e uma fala meio brega, como se fosse uma canção dos Scorpions, que só gostei por ser em italiano e acho muito legal que a Jambow Jane tenha essa diversidade lingual.

22291336_1520000271432669_8194542358675817787_o

Bom, vão lá ouvir.

;>)

 

 

 

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s